Cidadã de Segunda Só para o que Vos Interessa

terça-feira, outubro 24

Exijo ser tratada como a cidadã de segunda a que me votaram, pelo menos até 2009 (quando o Sr. Sócrates irá pensar em abordar a temática do casamento homossexual). Raios! Estou farta deste Estado de Direito.

Porque raio hei-de eu, que vejo os meus direitos fundamentais consagrados na Constituição serem ignorados, regulamentados de forma arbitrária e quem sabe, passíveis de referendo, pagar o mesmo que pagam aqueles que usufruem de todos os seus direitos?

Como se não bastasse, é a segunda vez este ano que tenho os serviços do estado a exigir que eu pague mais do que, efectivamente, tenho de pagar.

Primeiro a tesouraria da fazenda pública veio dizer-me que eu tinha de pagar IVA em atraso desde de 2003, (tá bem abelha) quando eu sou isenta de IVA pelo tipo de actividade que exerço. Esta palhaçada saldou-se em 4 horas de trabalho perdidas nas finanças, para que um funcionário me indicasse o número do despacho interno que regulamenta a interpretação do artigo de isenção, para que eu pudesse escrever uma cartinha a informar as finanças que eles têm um despacho interno que diz que eu sou isenta.

Simplex Sr. Sócrates?

Agora a Segurança Social em todo o seu esplendor veio dizer-me que tenho todas as prestações por liquidar desde Setembro de 2003. Eu explico, como em Setembro desse ano passei a trabalhadora dependente, mas mantenho uma actividade de independente em simultâneo, eu teria de pagar duas prestações mensais, ou seja, a entidade para a qual trabalho paga a minha segurança social, e eu porque trabalho mais que o comum dos mortais (e pago 20% de impostos sobre cada recibo verde, logo à cabeça) tenho de pagar outra prestação de segurança social, todos os meses, independentemente de trabalhar pontualmente na minha actividade de independente.

Falta de produtividade Sr. Sócrates?

E agora, como se não bastasse vem o Sr. dizer que os meus direitos, só para 2009.
Agradeço, o favor de me considerarem sem deveres durante igual período de tempo.

4 comentários:

DUCA disse...

Subscrevo.

Always disse...

Eu avisei que devias esperar sentada! ;)

O debate do casamento entre homossexuais não vai acontecer na legislatura do engenheiro - não é politicamente conveniente ao senhor.

Wonder disse...

Bem relativamente á questão das Finanças podes estar descansada, são lentas fartam-se de cometer erros mas são por principio honestas, ainda há poucos dias saiu uma noticia
que devolveram 6 € a um cidadão falecido há pouco mais de 3 anos. (nem dá para acreditar?!).
Mas comparativamente a outros Ministérios são um pouco mais rápidos, a titulo ilustrativo a minha mãe recebeu uma carta do Ministério da Saúde a informá-la de uma consulta de Neurologia, a qual ela já nem se lembrava, a ultima vez que foi ao especialista foi há 7 anos.
Na questão da igualdade de direitos sinceramente tenho Orgulho neste Governo que tem a coragem de estabelecer uma data a partir da qual este tema virá a ser discutido, afinal em termos de desenvolvimento o país encontra-se com um atraso de 15 anos relativamente a alguns Estado da EU, este Governo propõe-se encurtar este atraso nos direitos dos Homossexuais para 7 anos, a mim parece-me um progresso…
Fora de ironias há que não esquecer que até há pouco mais de 3 décadas as Mulheres não eram plenas de direitos, necessitavam de autorização do marido para viajar para fora de Portugal.
Evidentemente que esta espera cansa especialmente para quem tem relações hoje dia que em toda a vivência são maritais, sem o reconhecimento como tais, mas esta espera tod@s sabemos que é para o inevitável.
E quem governa também tem esta consciência, nem o mais caquéctico dos deputados, acredita poder continuar a adiar esta questão muito mais tempo.
Também é certo que não nos calam com a história de data marcada!!

Narizinha disse...

Preparando o enxoval...
O tempo que demora, juntamente com o jeitinho que levo com as agulhas e a lã, deve chegar perfeitamente!!