Que confusão, Sr. Dr.

sábado, junho 2


Há três razões pelas quais eu sou um grande fã da série E.R.-Serviço de Urgência, que passa no 2º canal. A 1ª razão é o Dr. Carter, a 2ª razão é o Dr. Kovac e a 3ª é porque até é uma série interessante. E tornou-se muito mais interessante no ultimo episódio, durante um diálogo entre dois dos protagonistas (masculinos, já se está a ver) e que penso que vieram esclarecer uma série de duvidas que as pessoas ainda possam ter acerca do é uma relação entre duas pessoas do mesmo sexo.

Um deles, depois de discutir com a namorada, e, confuso com os relacionamentos homem/mulher, chegou a esta brilhante conclusão e partilhou-a com o seu colega:

-Sabes quem é que tem razão? Os gays. Eles é que estão bem.
-Os gays? Mas e o que te leva a pensar isso?
- Então repara bem. A tampa da sanita está sempre levantada e a televisão está sempre no canal de desporto. É assim que deve ser.

Brilhante! Mas apesar desta explicação o colega não ficou convencido. Vá-se lá saber porquê...

Ora, se formos por associação de ideias, também a relação entre duas mulheres deve ser uma maravilha. Vejamos. A casa deve estar sempre impecável, a louça lavada, a roupa passada, a casa cheia de flores, sacos com tricot e crochet por todo o lado e a televisão sempre no canal da SIC Mulher.

Olhe Sr. Dr. venha viver comigo uns tempos e vai ver como muda logo de opinião.

5 comentários:

underadio disse...

LOLLLLLLLLLLLLLLLL.

Cristina disse...

a melhor série sobre o tema, sem dúvida. bons personagens e tecnicamente perfeita..

cheguei cá através de uma indicação no meu blog. gostei muito.

cumps

MIGUEL GIRASSOL disse...

lololo

Jotinha disse...

Bem apanhado! De rir... !:o)

Stadistoya disse...

sinceramente não comecei a ser mais arrumada quando vivi com a minha ex, nem o sou agora! E ela continuava a deixar a loiça para mim e eu o pó para ela. Enfim, mais parecia uma casa de gajos solteiros que outra coisa, mas para falar a verdade, a limpeza da casa na altura era quase tão importante quanto a vida dos célebres e ilustres pop stars lá das Américas.
Mas concordo! Viver com outro deve ser infernal, se esta não tiver o mínimo de respeito.