Ventos de mudança

quinta-feira, setembro 25

Para quem não viu a reportagem da RTP ontem aqui fica o link:



"Certo é que são realidades crescentes, cada vez mais assumidas e incontornáveis."

E parabéns à RTP pela forma aberta e sensível como abordou o assunto das famílias compostas por dois pais ou duas mães.

8 comentários:

tangas disse...

excelente sugestão, miranda.

umquarentao disse...

Apelo em divulgação na internet:
- ÚTEROS ARTIFICIAIS: Uma Investigação Cientifica Prioritária!


Nas Sociedades Tradicionalmente Poligâmicas apenas os machos mais fortes é que possuem filhos.
No entanto, para conseguirem sobreviver, muitas sociedades tiveram necessidade de mobilizar/motivar os machos mais fracos no sentido de eles se interessarem/lutarem pela preservação da sua Identidade.
De facto, analisando o Tabú-Sexo (nas Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas) chegamos à conclusão de que o verdadeiro objectivo do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos sexualmente mais fracos; Ver http://tabusexo.blogspot.com/.

Com o fim do Tabú-Sexo a percentagem de machos sem filhos aumentou imenso…
As Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas têm de Assumir a sua História!!!
Isto é, estas sociedades não podem continuar a tratar os machos sexualmente mais fracos como sendo o caixote do lixo da sociedade!!!
Isto é, os machos ( dotados de Boa Saúde ) rejeitados pelas fêmeas devem possuir o legítimo Direito de ter acesso a ÚTEROS ARTIFICIAS.


PS
Alarmado com o número muito elevado de solitários, o governo Sérvio quer "importar" 250 mil noivas para solitários...
Um contra-senso óbvio: quem critica a repressão dos direitos das mulheres, em simultâneo, procura resolver os seus problemas demográficos recorrendo a povos aonde repressão dos direitos das mulheres proporcionou uma boa produção demográfica!!!

A lés de mim disse...

Vi...
Esta visibilidade faz-nos bem...
Numa sociedade com tanta diversidade familiar só falta mesmo a aceitação (e reconhecimento legal) destas famílias, em que como em tantas outras o amor é a palavra-chave! As crianças nascidas no seio homossexual (no clima actual) são seguramente as mais desejadas do mundo.
Aproveito para deixar não só os parabéns pela reportagem (uma boa candidata ao "Prémios média" da rede ex aequo (na minha opinião), mas também para me curvar em sinal de apreço a todas as famílias que desmistificam os pré-conceitos de uma sociedade que já está com idade de mudar.

Águeda disse...

Não é sobre o post, mas sobre o blog: posso "roubar" uma imagem de vocês? Fiquei apaixonada por "I was once a tomboy, now i'm a full grown lesbian" e o "how come all the cool girls are lesbians?" Muito boas!

Anónimo disse...

Olá meninas. Preciso de uma ajudinha aqui.

Sou bissexual.Sempre senti mais atração por mulheres que homens desde que me conheço por gente. Só que ultimamente, não sinto mais nada por homens.

Tive poucas experiências, e geralmente foram em balada, o que é muito mais fácil, não é verdade? Só que ultimamente isto tme se tornado um pesadelo para mim, porque eu nunca abordei ninguém, e sempre deixei isso mais escondido aqui dentro. Estou com uma sensação esquisita, com um desejo doido, só que nem sei o que fazer.

Queria esclarecer umas coisitas aqui com vocês. Vocês sabem quando a outra é hetero ou não? Como fazem pra abordar. O que eu faço pra que uma pessoa do meu convívio saiba que estou a fim? Onde são as melhores baladas para que eu possa me soltar mais, conhecer mais garotas? Enfim, são perguntas de "principiante" mas que eu não sei responder sozinha.

Fico grata se alguém me ajudar.

Miranda disse...

"Em balada"? Confesso que não sei o que será... creio que será brasileira não é? Nesse caso poderá procurar ajuda em blogs lésbicos do país irmão. Recomendo-lhe o Uva na Vulva: http://uvanavulva.com.br/

Como é óbvio é mais fácil reconhecer quem procura o quê se estiver em ambientes LGBT-friendly. Em Lisboa haverá uma grande oportunidade na Lesboa Party já este fim de semana! Ver post da AR em baixo: http://lesbicasimples.blogspot.com/2008/08/2-niversrio.html

Ana disse...

opá, estive que tempo à espera (não era para dar às nove da noite?) e depois de apanhar duas secas, achei que tinham cancelado... afinal deu? a que horas?

S.M. disse...

A reportagem ficou mto boa...só lamentei que não pudessemos tod@s dar a cara... mas há situações em que é mesmo difícil.
Mas sinto que se avança, não tão depressa como precisavamos, mas avança-se.
Beijinhos