A importância de Johanna Sigurdardottir

sexta-feira, janeiro 30



Pode ser uma política competentíssima, estou certa que seguramente o será, mas ser lésbica assumida é já motivo de orgulho para tantas mulheres por esse mundo fora e nós não somos excepção. Há por aí quem diga que esse facto não tem importância nenhuma, que ninguém quer saber da vida sexual de ninguém mas considerando que a senhora é uma mulher e lésbica assumida, em muitos países do mundo (Portugal incluído) nunca teria sequer uma hipótese de chegar a membro do parlamento, quanto mais a chefe de governo!

Já sabemos que Portugal tem uma das representações femininas mais baixas da Europa na assembleia. E quanto a homossexuais assumidos? Penso que a representação será mesmo de 0%! Considerando que os homossexuais representam cerca de 10% da população, quem está lá para defender os nossos direitos? Não assumidos dizem as más-línguas que haverá uns poucos (começando pelo Paulo Portas), mas quem será o primeiro a levantar-se e a procurar activamente defender os direitos duma minoria que tem sido humilhada e reprimida ao longo dos séculos?

Em que raio de armário estará o nosso Harvey Milk escondido??

6 comentários:

Isa disse...

Imagino mais facilmente algum deputado/a being outed do que proprimente assumir-se...

Gil Scott The heron disse...

O Palahaço do Paulo Portas?????? fogo eles mais um pouco e era de da extrema direta.
A serio ele na pode ser.
mas pensado bem nunca o vi acompanhado.

dsp este pensamento baixo pareceu ter saido da Revista Maria ou a Ragazza

Carne Crua disse...

Aqui fica o convite para provar a Carne Crua em http://carnecrua.blogs.sapo.pt

Miranda disse...

O Paulo Portas sim meu caro Gil, é daqueles casos em que toda a gente sabe o que ele é e ele se esforça arduamente para se manter fechadinho no armário. Não é pensamento baixo, é pensamento de quem tem convicção que os maiores homofóbicos são de facto homossexuais reprimidos!

Anónimo disse...

A homossexualidade feminina é um assunto controverso. Pensa-se que são meras construções mentais destinadas a atrair a atenção dos homens.

Anónimo disse...

A Miranda sim meu caro Gil, é daqueles casos em que toda a gente sabe o que ela é e ela se esforça arduamente para se manter fechadinha no armário. Não é pensamento baixo, é pensamento de quem tem convicção que os maiores idiotas são de facto mentecaptos reprimidos!

Vês Miranda? Posso ditar factos sem ter qualquer prova do que estou a escrever. Feminazi não pensa; Guarda raiva.