A Caçada

domingo, setembro 17

Um dia acordei e um estranho pensamento assolou-me a mente “Eu nunca tinha tentado engatar ninguém!”.

Esta falha na minha vida devia-se a um sem número de razões: 1º ainda estava no armário; 2º tive namorada durante muito tempo e só agora me encontrava livre; e 3º, não saia para sítios gay e tinha medo de atirar ao lado (em cheio numa straight e com sorte com um namorado grande).

Uma noite saí com os meus amigos da faculdade, e fomos parar a uma discoteca da noite lisboeta. Algo em mim nessa noite estava aos saltos (não sei se era da lua cheia, ou dos sapatos apertados), mas nessa noite eu fiz a minha 1ª tentativa de engatar uma Sr.ª na noite.

Ora lá estávamos nós, um grupo grande numa discoteca pequena. Eu e um grande amigo meu tínhamos engatado numa conversa séria, e continuamos a conversar ignorando a música e as pessoas. A certa altura escolhemos um sítio estratégico, com vista para a pista, bem perto do bar, e colamos ombro com ombro falando um com o outro, mas olhando os dois para a frente.

Foi quando a vi. Uma miúda com um ar agradável, que estava a dançar num grupo com outras miúdas, rodeadas de Sr.s, a quem elas não ligavam a mínima. Pareceu-me bom sinal. Comecei a fixar o olhar na Sr.ª, ela estava consideravelmente longe, de qualquer forma, lá me viu… Começaram os olhares (que entusiasmada que eu estava, que bem que me corria, a minha 1ª tentativa, a minha 1ª escolha e tudo me corria bem, havia correspondência).

Estivemos nisto uns bons 15 minutos, a conversa com o meu amigo fluía e ele nem aí para as minhas segundas, terceiras e quartas intenções. A determinada altura ela pára de dançar, e começa a fixar-me ao ponto de eu começar a desviar o olhar. Agora perguntem-me porquê…

É claro que eu só queria ver como seria, ver como me correria se eu efectivamente quisesse “caçar”, claro que não me passou sequer pela cabeça que poderia resultar, nem o que faria se resultasse (burrice, eu sei!). E agora estava confrontada com uma situação que eu não queria, nem sequer achava possível.

Ela a determinada altura começa a avançar para mim, de olhar fixo, parecia que as pessoas na pista abriam caminho à medida que ela se aproximava delas. Era mais bonita perto do que à distância, tinha um passo determinado e movia-se com segurança (estou lixada com f grande, onde me fui meter? Agora que quero esta situação não posso… O que digo ao meu amigo? Com licença que eu quero conhecer esta Sr.ª, by the way I’m Gay… Não me parecia viável)

Ela chega-se a mim, mais perto do que seria normal, puxa de um cigarro, sem nunca desviar o olhar do meu e diz:

Ela – Dá-me lume!

Eu coro, eu desvio o olhar, eu tento sacar o isqueiro (como é que ele se enleia no cinto?), o meu amigo olhava para mim e para ela, eu olho para ele com o ar de “não olhes para mim, sei tanto quanto tu”. Ele tira o isqueiro e oferece-lhe lume, ela não aceita de imediato e fica à espera que eu me continue a debater com o meu isqueiro, o meu cinto e as minhas calças. Por fim, aceita o lume que o meu amigo lhe ofereceu. Dá a 1ª passa, expele o fumo para o ar e volta-me a olhar, eu torço e contorço-me a fugir do olhar daquela felina. Ela olha uma ultima vez e diz:

Ela – Bem me parecia!

Eu respiro enquanto ela volta para a pista, olho o meu amigo e digo eloquentemente:

Eu – Ele há cada uma, vá-se lá entender… Onde íamos?

Ele encolhe os ombros e continuamos na conversa, eu mudo de posição e ponho-me de costas para a pista, para esconder a minha vergonha.

Enfim… Sai mais um pedido de desculpas público… Desculpa! Foi sem querer, inexperiência sabes…

19 comentários:

felce disse...

es muito divertida. gosto do teu blog

o eu do território disse...

tás desculpada, ora essa! aliás até deixei de fumar que é por causa das coisas!

kidding! hoje tou cheia de humor! ah ah!!

AR disse...

felce:
Gracias!!!

o eu do territorio:
Estás sim srª e que bem que te fica :p

The City Lights disse...

ar.....imagino quantas voltas esse cinto nao deve ter dado!!!
Hehehehehe.....fica para uma próxima...right??

;)

jocas

felce disse...

posta mais cara...preciso de humor inteligente.

wind disse...

Desculpa, mas ri às gargalhadas:)))
bjs

Acid Pig disse...

A arte d'ngatar é engraçada!!! :)

Legna disse...

O vosso blog conquistou-me... :)
Muito bom!!! Parabéns!!!

(espero que não se importem!) mas tenciono visitá-lo assiduamente...

Narizinha disse...

Simplesmente fantástico!!
Boa sorte para a próxima!!
:o)

estreladonorte disse...

... e nem cheiro da gaja, nunca mais?.......... desculpa, essa história dá vontade é de chorar........ Se voltares a descobri-la, chama-me (a qq hora que seja) que eu convenço-a de que o triste episódio foi apenas um azar, que ela interpretou mal. depois... depois podemos fazer um pacto semelhante ao que fizemos para a Sra. Z. Vale? ;-) Besos aí para as lonjuras.
PS E fica-me de lição: nunca mais voltar a entrar num recinto desses sem a)isqueiro bem aparentado no bolso mais acessível e b) cigarros noutro bolso mais interior... :-D

AR disse...

the city lights:
Que remédio, né?

wind:
Não peça desculpa, dúvido que outras reacções sejam possiveis :p!

Acid Pig:
Engraçadas e estranhas...

Legna:
Gracias! E apareça sempre...

narizinha:
Obrigada :p!

estreladonorte:
lol, obrigada pelos conselhos e disponibilidade!

Guida disse...

Fartei-me de rir com a tua situação.Dava para uma argumento de um filme cómico.Quando as coisas estão a fluir é kuando algo vem atrapalhar: um maldito cinto para sacares um isqueiro. A ironia do destino: um objecto k expele fogo,calor devia enquadrar-se nesse momento que era suposto ter sido fogoso, mui caliente, mas não foi um balde de água fria.Eh eh eh

Kisses da Guida

soul disse...

situação chata mas cómica!!

já eu não tenho filmes desse tipo, tb sou nova nestas andanças, o único filme que tenho,considerado episódio piloto, foi ter ido a uma disco/bar gay e a única pessoa que se interessou por mim foi o segurança do dito estabelecimento!!
terei cara de terrorista? :)

celtic disse...

lolololololololol
muito boa esta história!

Cacau disse...

Demais!!!!!!!

CGuimas disse...

Hilariante!

E fez-me reviver a minha própria tentativa vã e frustrada...

Há muitos anos, numa disco, cheguei à fala com uma mocinha. Com a emoção enfiei pela goela abaixo de penalty o whisky que estava na mão de uma amiga. Um nanossegundo depois, estava eu completamente KO...
Dei por mim, horas mais tarde, a ouvir um ralhete da amiga: "Tinhas que beber o Whisky? Tinhas? Tu não bebes Whisky!!! Depois não venhas dizer que és a mulher invisível!!"
Nunca me recuperei...

Parabéns! Muito melhor um isqueiro que um Whisky; se bem que ardem os dois que se fartam... ;)

AR disse...

Guida:
Quanta razão Guida, quanta razão!

soul:
Não sei se tens cara de terrorista, mas que tiveste azar, disso não tenho dúvidas... O segurança, xiça, acho que não podia mesmo ser pior...

celtic e cacau:
:p!

cguimas:
Mulher invisivel... ahahahahahah... Adorei!

Maria FalaBarato disse...

(preferências sexuais à parte)
A história é muito cómica, embora seja ainda mais embaraçosa!
Enfim... parabéns, pelo belo e divertido Blogue Temático, é? (ainda não percebi a do Temático, mas também não é da minha liga por isso 'no crises')

BEje*

Maria FalaBarato disse...

posso só dzr q este foi o meu 1º comment num blogue deste gender!