Quão mal poderá correr um jantar romântico

segunda-feira, novembro 27

Muito mal, acreditem em mim... muito mal!!

E quando achamos que "bom, isto já correu tão mal que a partir de agora só poderá melhorar"... ah ah ah ah (riso maqueavélico), isto é pura ilusão!!!

Começa-se a saga com várias voltas na mesma rua à procura de um indiano que ou já não existia ou estaria totalmente fechado! Ah pois, à terceira voltinha venceu a segunda hipótese.

E agora? Eu não conhecia nada daquela santa terrinha e a outra alminha que estava comigo estava mais perdida do que eu.

"Ah e tal vamos ali"... mais umas voltas e conseguimos chegar ao dito cujo restaurante. Sentaram-nos e muito rapidamente nos atiraram com as ementas (ou menus ou cardápios, como quiserem). Não nos deram serquer tempo para respirar e um minuto depois já nos estavam a pressionar para escolhermos.

Eu comecei logo a "bufar". Não ia correr bem, já estava mesmo a prever. Ela escolheu o que eu ia comer e eu escolhi o que ela ia comer, romântico hein!!!

Estava eu já muito lançada na espetada do tamboril quando ela me diz "cheira o meu bife". Ó meus amigos, ali??? em público??? eu até que cheirava mas não me parecia muito bem que fosse ali. Antes de eu ter tempo de a arrancar dali para a conseguir cheirar decentemente, consegui acordar do sonho e perceber que era mesmo o bife da vazia (ou lá o que era) que eu tinha que cheirar. *Apre*, até fiquei mal disposta com o cheiro.

Ela saiu disparada para a casa-de-banho, tinha que deitar fora metade do bife que tinha ingerido (sim, conseguiu comer metade antes de ter achado que estava estragado... impressionante) e eu fiquei preocupada à espera (e a terminar o meu tamboril que estava muito bom).

Vem o dono (ou lá quem era) e a mim só faltou bater-lhe, salvou-se ela ter voltado e ter conseguido evitar um banho de sangue.

Entre mensagens e telefonemas a médicos e amigas com conhecimentos na indústria, calhou-nos a tarefa de ir à farmácia comprar um medicamento. Ah pois... e a farmácia... ah ah ah (riso muito nervoso).

E lá fomos, pela santa terrinha. Eu a fazer piadas parvas para ver se ela se abstraía do bife. E perguntamos onde ficava a dita cuja farmácia "ah, não pode ir lá com o carro. Tem de ir a pé! Mas aqui não pode estacionar". Ah não? Temos pena e atirei o carro para lá (atirar foi mesmo a expressão tanto que acabei por bater). Ali não dava, fomos para outro lado. Estacionamos e calcorreamos a cidade toda para irmos em busca da farmácia perdida.

"Ah pois, o que tu queres é levar-me para a praia", disse-lhe eu quando pedíamos informação e nos indicavam o caminho do túnel para a praia. "Tu não insultes a minha inteligência, com dois quartos de hotel, quatro camas e duas casas-de-banho, porque raio te levaria para a praia???", retorquiu. Pois, tive uma paragem cerebral mas há que me dar o desconto da noite estar a correr muito mal!

Chegadas à farmácia lá convencemos o senhor que queríamos o medicamento XPTO. Foi um diálogo ainda complicado. E eu, qual namorada foleira que ameaça deixar cair mas que no fundo é uma miúda atenta e preocupada ainda li a literatura inclusa.

De volta ao carro e comigo a tirar a camisola (Novembro quente este) ainda houve tempo para parar o trânsito!

Era quase meia-noite e o melhor mesmo era terminar a noite por aí, já que estava tudo a correr tão mal. E na conversa ficamos até às duas da manhã, hora em que ela voltou para o hotel dela sempre a falar ao meu ouvido (haja bateria no telemóvel) e acabei por adormecer, literalmente, com ela dentro de mim.

Talvez a noite não tenha corrido assim tão mal... talvez o fim-de-semana não tenha corrido assim tão mal... principalmente porque não correu para lado nenhum, foi deslizando calmamente qual águas de um pequeno afluente que mais cedo ou mais tarde acabará por emergir no rio principal.

7 comentários:

Anónimo disse...

Acredita que poderia ter corrido muito pior. Pode sempre! Portanto, saldou-se num evenenamento para a ela e uma batida no teu carro, e nada para as duas!

Empate técnico diriam nas minhas bandas!

Shaken but not stirred disse...

Anonimous, de técnico não teve nada!

Quanto ao nada para as duas também não foi bem assim... uma viu mais que a outra!!!

Miss Shirley B. disse...

Hum, será que não foi tentativa de envenenamento??? LOL
Se calhar para a próxima vão ter de cheirar a comida uma da outra antes de se deliciarem cegamente. Suas comilonas!

Uma sujestão: Façam voçês mesmas!

Um beijo da tia Shirley e boa semana.

Narizinha disse...

Agora já estão preparadas para tudo, o próximo vai correr bem de certeza!!
:o)

AR disse...

Ó minha amiga! Também te acontece tudo... Chiça!

Shaken but not stirred disse...

Miss S.B., preciso urgentemente do teu e-mail porque acho que temos muito que conversar :-P

narizinha, o próximo será lá para 2007 e terá que correr melhor!

AR, Eu ponho-me mesmo a jeito para levar com a vida :-)

Always disse...

É a famosa Lei de Murphy:

Se alguma coisa tiver de correr mal, correrá mal de certeza.

ou seja:

1. Nada é tão fácil como parece.

2. Tudo leva mais tempo do que se julgava.

3. Se existe alguma possibilidade de diversas coisas correrem mal, aquela que causar maior dano será precisamente a que correrá mal.

4. Sorri. Amanhã será sempre pior!

Espero sinceramente que não! :)