Gay e Crime (a óbvia ligação)

domingo, abril 1

Acabei de ler um e-mail que me foi enviado pelas Panteras Rosa que versava o seguinte tema: “Associação inaceitável entre homossexualidade, prostituição, droga e criminalidade defendida ontem por associações de estudantes”.

Ao que parece os alunos da Cidade Universitária sentem um clima de “insegurança” na zona (até aqui tudo bem), a este propósito os presidentes das associações de estudantes da faculdade de Direito e do ISCTE, “(…) relacionaram os encontros nocturnos entre homossexuais que têm lugar naquela zona, com criminalidade e até tráfico de droga. Ou seja, associando a frequência de engates homossexuais e a referida insegurança”.

Ora deixem cá ver se entendi bem… É mais fácil se tentar visualizar a coisa:
Um homossexual (masculino neste caso) vai a sair de casa para mais uma noite na Cidade Universitária, veste-se, penteia-se, dá uma vista de olhos ao espelho para os últimos retoques, e mune-se de preservativos e de um canivete (suíço neste caso).

Escolhe o que lhe parece o melhor local e espera. Ao longe vê um vulto a aproximar-se, liga o seu sempre útil “Gaydar” e espera que ele apite. O “gaydar” dá sinal e o rapaz lança o seu melhor olhar, o seu sorriso lindo e atira “olá, posso ser o teu ursinho de peluche?” (not bear related), o vulto passa, agradece a proposta, mas afirma que hoje está muito cansado e que vai mesmo é para casa.

Desiludido mas sempre temerário, o nosso homossexual retoma a sua espera. Mais um vulto que se aproxima, liga novamente o aparelho, mas desta vez ele não apita, nisto o nosso homossexual rapa do canivete suíço, põe a sua melhor cara de mau e atira “o dinheiro ou a vida”, o infeliz vulto dá-lhe o que tem e foge em horror…

Ora francamente!!! Haja imaginação e associações de ideias livres, mas já que são ideias transmitidas publicamente e para órgãos de comunicação que tenham o mínimo de conteúdo lógico…

“Mas não só não existe ali, ao contrário de outras zonas, qualquer tipo de prostituição, apenas encontros recatados e consentidos (e não expostos à visão ou ao incómodo de quem quer que frequente a zona) entre pessoas adultas e senhoras das suas decisões, como, muito menos, o "engate" homossexual terá alguma ligação a situações de criminalidade ou de tráfico de drogas.” Panteras Rosa

5 comentários:

Elzinha disse...

na falta de sexo assalto e na de assalto sexo!!

que horror!!

vergonha pensar desta forma!

Inha disse...

Nada de novo na paisagem deste pais...lembram-se do auge dos casos de pedofilia? Homossexuais= a? a? a? pois..sempre se lembram!
Ai! tantas cabecinhas pequeninas que existem em Portugal.
Bjos
Inha

Miss Shirley B. disse...

Meu deus...nada disto é verdade. Sabem porquêêêêê???? Porque nenhum gay no seu perfeito juizo vai andar com um canivete suíco. É considerado do MAIS piroso que há.

Já eu, por exemplo, ando armada de bazuca!!! BUUUUUMMMMM

neva disse...

realmente quem fala sem conhecimento só diz asneira. e o pior é quando essas asneiras interferem c a vida de outras pessoas. pq será que em vez de se falar por falar não se tenta compreender e só depois actuar de acordo????

Anónimo disse...

Pois, mas o certo é que por causa dos alunos de direito (eu sou de letras, e sempre os achei uns pirosos convencidos, uns reacionários e uns homofóbicos, coisas que são consequências umas das outras), das pessoas que falam de coisas que ou não conhecem ou de que não deveriam falar, como é o caso do Sr. Bruno Horta, que sempre que pode divulga mais alguma coisa sobre os homossexuais, os locais de engate da Cidade Universitaria acabam de ser arrasados a Caterpillar...
É que segundo a Amnistia Internacional, enquanto que na UE a principal causa de discriminação é o racismo, em Portugal é a discriminação por orientação sexual. É por isso que os gays precisam destes locais, de outro modo faziam-no à vista de toda a gente, como noutros países...