Diversidade no Gueto

quarta-feira, janeiro 16

À conta deste post, andei às voltas a remoer e a pensar nas vantagens dos guetos LGBT, vantagens que vão para além do óbvio. Vantagens que decorrem da desvantagem de pertencer a uma sociedade que apresenta reservas (eu sei que é uma forma simpática de pôr as coisas) face a demonstrações públicas da homossexualidade (não só as demonstrações de afecto).

E houve uma, em particular, que me impressionou. A possibilidade e facilidade em conhecer pessoas tão diferentes. Ou seja, se a única coisa que nos une é o facto de sermos homossexuais, imaginem tudo o que nos diferencia uns dos outros (sim, apesar de tudo não somos uma massa homogénea e estereotipada de pessoas).

Este fim-de-semana numa saída à noite para um dos guetos da noite de Lisboa, reparei na quantidade de pessoas com quem falei (amigos e conhecidos) e quão diferentes são umas das outras:

- A pessoa mais nova com quem falei tem 22 anos; a mais velha tem 54.
- Relativamente à escolaridade: falei com pelo menos uma pessoa com o 6ºano e pelo menos duas com Doutoramento.
- Nas profissões então a diversidade é espantosa: pessoal das Ciências Sociais, da Saúde; do Ensino; do Design; da Informática; da Biologia; dos Serviços; das Artes, etc.
- Dos territórios de origem: do norte a sul de Portugal, das antigas colónias do Ultramar, Brasil e União Europeia.
- Já para não falar dos valores, das cores politicas, da religião, etc.
- E como bónus final a diversidade de orientações sexuais: el@s eram homossexuais, bissexuais, heterossexuais e pansexuais. Ainda travestis e transexuais.

Tudo o resto pode ser muito mau, mas esta é sem dúvida uma vantagem, só há que aproveitar para enriquecer…

15 comentários:

Diabba disse...

Não percebi o que é um/a pansexual, desculpa a ignorância, podes esclarecer-me?

beijo d'enxofre

Diabba disse...

Ahhhh será que um dia destes poderias fazer um post com os lugares (nomes e se possível morada) frequentados pela tua equipa?? (vais-me desculpar, mas falas tanto em "equipa" que me tentei a usar o teu termo)

Tenho uma amiga chegada de França (portuguesa) que está um bocadito perdida, sem saber quais os locais onde quer realmente ir.

mais um beijo d'enxofre (estou uma mãos largas)

AR disse...

Diabba:
Posso sim Srª, recomendo-te um post anterior que tem os rótulos todos:
http://lesbicasimples.blogspot.com/2007/08/ser-que-sou-lsbica-ii.html

Lá estará o Pan e Pomo além dos do costume!

AR disse...

Diabba:
Se não te incomodar prefiro mandar-te os lugares por e-mail é que em post não fica bem... Mas ali na coluna ao lado no "by hight" tens pelo menos 4 sugestões para o pessoal da equipa e para os que torcem por ela.
Bjs

Diabba disse...

Obrigada :D

Podes emailar-me?? (hihihihi gosto de neologismos, não há nada a fazer)

diabbba@gmail.com

(nota que o diabbba, tem 3 B's)

beijo d'enxofre

Ji disse...

Quero um convite para sair à noite! =P

Beijo na bochecha!

Marlene disse...

Viva a diversidade!

serotonina disse...

o que me incomoda, é que existam homossexuais e lésbicas que acham que, lá por partilharmos uma pequena parte da nossa identidade, já temos que ser todos amigos e dar-nos bem. Eles próprios estão a por-nos todos no mesmo saco e a estereotiparem-se. O facto de partilharmos locais comuns, não quer dizer que exista afinidade com todas as pessoas, e na realidade nem tem a ver sequer com as diferenças que encontraste (o que prova que somos uma boa amostra da sociedade). Mas isto posso ser só eu a sentir.

kim disse...

Era só pra informar que no site: http://dear80s.blogspot.com há uma votação para a personalidade portuguesa feminina da música. E gostaria que votassem na DINA, pois ela teve a coragem de assumir a sua homossexualide. De que estão à espera? Sejam solidárias e votem nela! O quadro das votações encontrá-lo-ão se forem sempre pra baixo.

Cosmopolita disse...

Então, se estava lá essa gente toda, não é um gueto, ou será?

Apenas pessoas de todo o tipo e idade num mesmo espaço não marginalizante e tolerante, não constituem um gueto, mas sim um reflexo do que a sociedade devia ser.

A música é que é péssima e alta demais!!! Quase não danço, saio de lá com dores de garganta de tanto berrar para ser ouvida e meia-surda!!!

O encanto reside, em como no "Cheers, aquele bar", em ser esse so-called "gueto" um local, onde se encontram pessoas amigas, conhecidas e desconhecidas e onde ao fim de um tempo "everybody knows your name". Or at least would like to know...:)

Sweet Porcupine disse...

....que grande look.....ainda nao tinha onseguido aqui vir com esta magnifica fatiota!!

Muito bem!
Continua, sem duvida alguma a ser um grande blog!

Beijocas ouriçadotas á equipa!

Memory disse...

A diversidade humana é realmente enriquecedora, independentemente da orientação sexual, da escolaridade, da idade, da nacionalidade e podia aqui enumerar mais alguns. O que torna enriquecedor é haver pessoas que conseguem tirar partido em relação aos ser human,o desta diversidade, e essas é que talvez não sejam em numero suficiente.

Um abraço

Um outro olhar disse...

Ter orientação sexual diferente não pode, nem deve, significar, viver dentro do "armário" e limpar o "pó" qdo há a possibilidade de faze-lo. É ter uma vida normal, dentro dos parâmetros da gente comum.., é viver a nossa vida com naturalidade, de cabeça erguida e olhar em frente... sem clausuras nem "guetos". È vivermos a nossa diferença com dignidade, pq a única fronteira que nos separa dos "outros", é tão só uma caracteristica de personalidade. Luta-se contra o preconceito qdo impomos os nossos valores, as nossas diferenças; assumimos a diversidade. Por sermos pessoas comuns estamos em toda a parte e a todos os niveis sócios económicos, para não falar como contribuimos, em particular, tod@as para a riqueza deste País.
Love is no gender.. o resto é treta duma sociedade patriarcal e heterosexista.

Cumprimentos, a toda a equipa do blog e em especial para ti AR.
ES

AR disse...

Ji:
Oh Ji, não é necessário convite, é só dar um giro na noite que eu e a diversidade andaremos por lá!

Marlene:
Viva mesmo!

Seretonina:
Eu nunca senti as coisas dessa maneira, mas tenho amigas minhas que se queixam do mesmo...

Kim:
Obrigada pela info.

Cosmo:
Tens toda a razão!

Sweet Porcupine:
Gracias tanto miuda!!! Beijos! :)

Memory:
Se houvessem mais não faria mal nenhum... Mas olha que eu conheço uma mão cheia deles...

Um Outro Olhar:
Right on sister!!!

Αμαζόνες :P Susana disse...

tambem nao fazia a minima do que era fui pesquisar na wikipedia... aquele lugar que toda a gente nao tem a certeza se esta certo ou errado mas que é bastante rapido.

Pansexualidade é uma orientação sexual, distinta da bissexualidade e caracterizada por atração estética potencial, amor romântico e desejo sexual por qualquer um, incluindo aquelas pessoas que não se encaixam na binária de gênero macho/fêmea implicado pela atração bissexual. Algumas vezes é descrito como a capacidade de amar uma pessoa de forma romântica, independente do gênero;alguns autores conteporâneos afirmam ainda que o pansexual pode ainda ter fazer sexo com animais pois são capazes de sentir atração pelos tais. Alguns pansexuais chegam a afirmar que gênero, sexo e espécie não têm importância para eles.