Um esclarecimento que se impõe

quinta-feira, março 20

Solange F. e Shaken são duas pessoas diferentes.

A Solange F. é o centro da reportagem na qual também participam mais 5 mulheres, entre elas eu, Shaken.

Peço desculpa se induzi em erro.

26 comentários:

Teresa disse...

Quem pede desculpa sou eu, que tirei conclusões parvas e precipitadas.

Um beijo à Shaken.

Um beijo à Solange.

Que não são uma e a mesma pessoa, mas merecem as duas o meu grande respeito, a minha grande cconsideração.

Acid Pig disse...

Parabéns pelo artigo na sua totalidade... Já tive oportunidade de ler tudinho!

Mas ainda quero reler umas partes! ;)

Acid Pig disse...

Desculpem... parabéns às outras meninas tb..apesar de algumas n pertencerem a este blog! :)

Shaken disse...

Teresa, não tens de pedir desculpa. Um beijo

Acid, já li a tua consideração. Um beijo também

Acid Pig disse...

Aqueles comentários no site do Expresso deixam-me verde...

Pedro disse...

o video foi-se, já não dá para ver! parabéns e força para continuarem a luta.

Miuda Do Armário disse...

http://www.youtube.com/watch?v=reqAltCK5Vk

o video continua aqui, ao que parece o expresso fez de novo upload..

Parabéns pela reportagem e pelo blog.. =)

@rco Íris disse...

Parabéns pela reportagem, embora não concorde totalmente contigo. :)

Avidni disse...

Parabéns! :)

RV disse...

gostei muito da reportagem, são 6 individualidades bem retratadas, são mulheres q saboreiam a normalidade na vida, parabéns, :)

Noivo disse...

infelizmente o vídeo não está disponível... existem alternativas?

hotspot_fortaleza disse...

FELIZ PÁSCOA !!!

(=^.^=)

http://hotspotfortaleza.blogspot.com/

Anónimo disse...

A pesar de ñ concordar inteiramente com tds as opinioes, em linhas gerais pode dizerse q a pequena reportagem na revista, esta de parabens. sao 6 maneiras diferentes de viver tds validas sim senhora. Sei q algumas pessoas ñ comcordaram c o depoimento de uma das entrevistadas, mas pra mim e igualmente valido, o facto de seremos lesbicas o bisexuais, ñ quer dizer nem de longe q sejamos perfeitas. Espero ver mais coisas d estas.
p.d: Solangezinha, eu tb estou sozinha!. Lol. Brinco! Um abraço Shaken.
Shane

Anónimo disse...

Hellow Everebody.

Eu lí avida e sequiosamente cada letra, cada palavra da Solange à Sofia passando pela Rita. A todas voçês respeito e mais respeito. Não pelas entrevistas em si, pq de facto, as vivências das pessoas que AMAM pessoas do mesmo sexo, e em particular, nós, lésbicas , não tem nada de diferente de qualquer casal Hetero.. È tao só uma caracteristica que nos destingue. Nada mais.

No entanto, a reportagem vale pelo abrir de mentalidades e no que isso pode provocar para a conquista de direitos que nos estão até agora vedados....

Por último, tenho pena de não ter entrado na reportagem pq tenho aqui uma gatinha linda, que era capaz de ficar bem na foto.

Estavam todas lindas, claro que a míuda da Capa é tal e tal.. Esses olhos são lindos.
Beijinhos em todas..

ES

Morgan disse...

clap clap

Minerva disse...

Parabéns à Solange, Shaken e ás restantes!

Visibilidade precisa-se e esta reportagem, com certeza, contribuiu para a mesma.

:)

Memory disse...

Reportagens como esta contribuem de forma mais coesa, mais firme, mais séria, para a aceitação mais generalizada da homosexualidade feminina. Ainda bem que há jornalistas interessados neste tipo de divulgação, bem como mulheres com coragem para ''rasgar'' mentalidades.

Parabens a todas.

Um abraço

aphrodyte disse...

visitem http://www.masturba-te.blogspot.com/ para lavar a vista. um beijo

Placi disse...

Lamento os comentários negativos que tenho lido e ouvido em torno desta excelente reportagem. Mas afinal tudo é positivo!

Fiquem bem!

Anónimo disse...

APROVEITO PRA DIZER Q TENHO IMENSAS SAUDADES DA AR. UM ABRAÇO.
SHANE

Anónimo disse...

Da reportagem deve tirar-se os aspectos positivos. Como lésbica, tenho ouvido alguns comentários acerca da entrevista que me deixam triste. E proquê? Porque colegas de trabalho mulheres/homens hetero só lhes chamou a atenção a "mulher feia" (referida na reportagem) e todo o rol de relacionamentos dessa pessoa. Tudo o resto não ouvi uma palavra. E continuam, desta feita, a dizer e a maldizer estes relacionamentos. Apesar de saber que ninguém é perfeito... gostaria que esta reportagem tivesse de alguma forma um impacto positivo na sociedade pelo seu lado sério e responsável.
Tenho um relacionamento sério e tb nós desejamos ter um filho. A entrevista deu-nos algumas luzes - por isso o meu obrigada.

Se queremos uma imagem séria de amor responsável e que nos levem a sério, temos de transmitir isso mesmo - seriedade e responsabilidade nos relacionamentos.

Anónimo disse...

parece q estamos obrigadas a transmitir uma imagem seria, e nos antes d q lesbicas somos seres humanos, inperfeitos com virtudes e defeitos,se transmitimos tanta perfeiçao, nunca poderemos falhar e isso e negativo e radical. As pessoas q leem a entrevista e so ficam c essa parte "da mulher feia" e pk ñ estao realmente interessadas em nada disso, e so querem ver o pior, eu achei muito bom o facto d expor assim tantas mentalidades, nos somos assim, somos maes, q queremos viver felizes c uma pareceira, e tb somos mulheres cheias d desejos, e de namorar muitas vezes, isto ñ sao qualidades, exclusivas dos heteros, o entao dos homens.
SHANE

Teresa disse...

Só ontem consegui ler a reportagem.

Quando li o penúltimo comentário, pensei imediatamente o mesmo que a Shane: não vejo qualquer razão para não apresentar as pessoas em toda a sua diversidade e nas suas diferentes maneiras de viverem a sexualidade, sem ter de enfeitar ou fazer um photoshop que dê uma imagem mais favorável.
É de verdade que se fala. E é a verdade que se quer, não é?
É indiferente que sejam homossexuais ou heterossexuais, relações são sempre relações - o que é diferenciado são as pessoas.

Anónimo disse...

"Se queremos uma imagem séria de amor responsável e que nos levem a sério, temos de transmitir isso mesmo - seriedade e responsabilidade nos relacionamentos."
...........VERSUS...........
"Somos humanas, não somos perfeitas"

ENFIM:
....... Somos mulheres devemos desejar que nos respeitem. Cada uma é livre de viver como entender, mas a seriedade das relações terá muito peso em termos delegislação futura (se é q faz falta a quem salta de "racha" em "racha")

Anónimo disse...

alguém pode deixar aqui a cópia da reportagem?

Outsider disse...

Achei a reportagem muito nobre com excepção desta parte:
«Toma para si o lado mais risível do tema ao contar que chegou a namoriscar com uma «mulher feia» só porque ela «nunca tinha sido penetrada». Resolveu o assunto ao comprar numa «sexshop» uma «cinta pedagógica» - leia-se espécie de pénis de plástico sustentado na zona púbica – para satisfazer a parceira por um fim-de-semana. Após a experiência partiu para outra.»
Não havia necessidade, pois estes factos, é que ficam nos ouvidos dos homofóbicos e companhia limitada.