Sondagem de trazer por casa

quarta-feira, outubro 1

Em relação ao debate sobre o casamento dos homossexuais tenho ouvido por aí opiniões contraditórias, algumas inclusive de homossexuais que acham que é uma parvoíce o grupo, ou comunidade LGBT, ou o que queiram chamar-lhe, estar a lutar por um direito que no seu ponto de vista não faz sentido para quem se proclama homossexual. E penso cá para comigo que se este assunto não é consensual nem entre os meus "pares", temo que nunca o será duma forma mais alargada.

Assim peço-vos para votaram nesta sondagem de trazer por casa para aqui neste cantinho percebermos se realmente estamos todos a lutar pelo mesmo ou se nem por isso...

47 comentários:

Berto disse...

Acho que não deviam lutar, pq nem deveria ser preciso lutar. É um direito e como tal, já devia ser estar mais que legal, escrito , etc etc, e ng deveria ter de lutar por dereitos que afinal acabam só por interessar a que o faz. Mesmo quem fala contra, gostava de saber o que é dois homens ou duas mulheres casadas lhes afecta a vida? Só por ai (já sem falar em muitos outros pontos) devia ser legal, ponto!

Miranda disse...

Concordo berto, mas infelizmente parece que até nem todos os homens que se relacionam com homens, ou mulheres que se relacionam com mulheres acham que o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo devia ser legal! :-S

Berto disse...

Mas isso é idiota nem que seja por dois pontos, pelo anterior de que ng tem nada a ver com a nossa vida particular, quer pelo que o casamento civil, falando em termos mais "legais", não passa de um "contrato" realizado entre duas pessoas, como os que se fazem quando um emprego ou outra coisa qq. Eu não acredito no casamento civil, para mim casar é casamento pela igreja, mas como não gosto dos padres, basicamente não me caso, mas acredito que toda a gente tem o direito de casar, e mesmo o direito de dizer "eu nao me caso pq nao quero!". Ainda hoje estou para entender as manias de intervenção na vida das pessoas...

Miranda disse...

E eu digo que "não me caso porque não posso!"

Mas ainda assim acho que o estado deverá sempre intervir na vida das pessoas até porque há situações que não se resolvem na intimidade de cada um (estou a pensar nos casos de violência doméstica ou abuso sexual de menores p.ex.)

E mesmo em relação ao casamento já li por aí algures que se o estado permitir o casamento entre homossexuais deverá também permitir casamentos com múltiplos parceiros p.ex., o que para mim não é de todo a mesma coisa uma vez que a bigamia e a poligamia são coisas de mentes machistas e retrógradas que pretendem escravizar as mulheres e retirar-lhes a igualdade que aos olhos da lei elas tão arduamente conquistaram.

Berto disse...

Agora ai discordo, pq quem está a ter a mente "machista" és tu, pq apenas ves poligamia quando 1 homem tem 2 ou mais mulheres... eu concordo, casamento entre homossexuais e casamento poligamico (é assim que se escreve?). O que se passa na intimidade, desde que ambos concordem (isto exclui os casos que disseste) acho que as pessoas devem ter liberdade para fazerem o que querem na privacidade. Se um homem quiser casar com outro homem, ou quiser ter varias mulheres e estas tb o quererem!!!! acho que devem ter todo o direito de o fazer, tal como se uma mulher quiser casar com outra mulher, ou uma mulher quiser ter varios homens e este tb quererem!!!! tb devem ter o direito de fazer o que querem. Tu acabaste de fazer algo que não gostas que façam a ti, que foi julgar "alguém" pq quer ter mais que mulher. Se vamos entrar por esse ponto, então sim, proibimos tudo o que é "estranho", seja a homosexualidade, a poligamia, o sado-maso, bondage, etc etc etc. Tudo o que é desconhecido, ou sai dos parametros da sociedade (dai o termo estranho) as pessoas tem tendencia para dizer logo que não, e que é mau, etc, mesmo que não influencie nada na sua vida. Explica-me pq razão um homem/mulher não há de poder ter multiplos parceiros se todos os envolvidos assim o que quiserem? E quem disse que a poligamia se refere apenas a homem com muitas mulheres? Pq não um homem com muitos homens e mulheres com muitas mulheres? Lá pq tu não queres e nunca quererás (penso eu) ter mais do que a tua mulher, é tão injusto tu não te poderes casar, tal como um "casal" poligamico tb nao poder casar. Dizia mais... mas isto já um grande testamento (Desculpa)

poeta de rua disse...

acho que o caminho é mesmo lutar.è claro que o ideal seria nem sequer estarmos a discutir isto, pois significaria a não existência de discriminação. mas sempre assim foi, até as mulheres tiveram (e têm) de lutar por direitos como o voto, o usar calças, o ser reconhecida and so and so ando so.

Berto disse...

Agora que já estava lançado na discussão (adoro discutir assuntos) e a Miranda não responde... snif snif

Catarina disse...

Eu sou lésbica e gostava de um dia mais tarde quando quiser poder casar. Acho que faz sentido entre duas pessoas que se amam e nem deveria ser algo pelo qual deveriamos lutar, devia ser um dado adquirido porque sou cidadã deste país e deveria poder usufruir dos mesmo direitos que todos visto que os deveres são os mesmos...

Berto disse...

E o estatuto de união de facto? Já podem ter ou tb é outra coisa que ainda está para ser?

Miranda disse...

O estatuto de união de facto já podemos ter sim, mas tem algumas limitações, nomeadamente em relação às sucessões e heranças. E pois... não queria eu discutir outra coisa que não o casamento entre duas pessoas, de sexo diferente ou do mesmo sexo, porque precisamente sinto que alguns dos que se opõem ao casamento entre homossexuais acham que isso iria levar a um "vale tudo" não desejável em sociedades civilizadas.

Era bom que a bigamia ou poligamia fosse assim como indicas (uma pessoa quer ter várias) mas de facto o que se verifica é que não é assim. Normalmente é um homem que pretende ter várias mulheres e isso indigna-me sim, porque não contribui em nada para a igualdade e não descriminação das mulheres. E eu que feminista me confesso não posso tolerar uma situação de tamanho poderio machista! :-)

Miranda disse...

Catarina, era bom que todos pensassem como tu, e como eu.

Infelizmente não é assim e até aqui neste cantinho a discussão já divergiu (como noutros por onde passei e onde se discute o mesmo assunto) porque há quem pense que o casamento entre homossexuais é uma porta de entrada para outras situações um pouco mais "ousadas", como sejam casamentos entre várias pessoas, entrando assim em temas como a bigamia, a poligamia e até o incesto!! :-S

x-pressiongirl disse...

Acho incrível a "instituição casamento" ainda existir e, mais incrível ainda, a comunidade gay querer que a Igreja os reconheça como casal quando nem sequer são reconhecidos enquanto indivídos homossexuais.
Mas porque o casamento está ao alcance de uns faz todo o sentido que esteja ao alcande de outros que também o desejem.
Expliquei melhor este ponto de vista aqui: http://sembikini.blogspot.com/2008/06/por-que-que-os-gays-no-devem.html
Amanhã haverá uma Acção de rua (Flash Mob) a favor dos casamentos cívis para casais do mesmo sexo, às 19:30h frente à Brasileira do Chiado.

x-pressiongirl

Berto disse...

Acho piada quando os "reprimidos" reprimem. Se é para uns, tem de ser para outros. Dizer que a poligamia não deve existir pq iria ser só um homem com muitas mulheres e não o resto, é tão grave como dizer que os gays não podem casar. Sim, é grave pq nós devemos ter essa escolha, pq a vida é nossa, e não tenho problema nenhum que um homem tenha várias mulheres, desde que isso seja escolha deles, do homem e das mulheres, tal como não teria nenhuma problema se fosse o contrario, ou mesmo que fosse tudo do mesmo sexo. Não me atinge, pq eu não tenho nada a ver com a via pessoal dos outros. Dizer que não é desejável em sociedades civilizadas, então o casamento gay tb não deve ser aceite, pq não é desejavel... começa agora a se-lo, mas se calhar não é! O mal das "sociedades" é que todos pensam que tem o direito de dizer o que é bom e o que mau, sem respeito das liberdades individuais.

Falas que a poligamia é machista: não! a tua frase é que é, tas a rebaixar as mulheres. Se queres lutar pelo "direito" das mulheres, não lutes pela "ah, isto é machista deve ser proibido" mas sim pelo mesmos direito e deveres, e pelo poder de escolha. Uma amiga contou.me que fez uma entrevista a uma "feminista" muito activa de uma associação qq dessas coisas (eu sou um pouco desligado disso, por isso não sei nomes) e quase no final da entrevista, a entrevistada sai-se com esta "nem reparei nas horas, peço desculpa, mas tenho de ir prepara o jantar para o meu marido". Ela achou estranho a frase (a primeira vista muito machista) e comentou com ela "ah e tal, então lutas e dizes que fazes e afinal..." e ela respondeu que ela agora pode escolher em fazer isso. Eu não tenho problema nenhum que uma mulher queira ficar em casa a cuidar dos filhos, eu tenho é problema que a sociedade e os homens achem que isso é uma obrigação! Então e se uma mulher, e um homem (para mim existem pessoas, não sexos) quiserem largar o emprego e ficar em casa a cuidar da familia? Agora são marginalizados pq isso é ser "machista" ou "feminista"? Não vamos lutar pelo proibir, mas pela liberdade de escolha, se alguem quer ser hetero, é hetero, homo, é homo, quer ser maso, seja maso, etc, desde que não afecte a liberdade dos outros (pq a nossa liberdade abaca onde começa a dos outros), acho que as pessoas devem ser livres de escolher, nem que seja ter um homem "machista", se isso for o que faz feliz, mas tenha essa liberdade de escolha.

Quando ao casamento instituição, se uma pessoa se quer casar, casa! ponto. Não se deve lutar contra, pq ng é obrigado a casar... Deve existir a escolha, e cada um deve fazer o que melhor acha que é para si. Eu nao me quero "casar", pq não acredito no casamento civil ou pela igreija, mas luto para que as pessoas tenham o poder de escolha, possam dizer eu quero ou nao casar, e não "nao me deixam casar".

Miranda disse...

x-pressiongirl agradeço muito o seu contributo e concordo que um dia o casamento como instituição deverá ser substituído por outra coisa que respeite mais a liberdade individual de cada um de nós, mas por enquanto é o que temos... enfim, no caso dos homossexuais ainda nem isso temos!

berto pois... terá razão mas eu neste momento luto por um direito que pretendo ter e sei que a minha luta não é solitária uma vez que há uma expressão comum que me apoia nesta causa. Haverá o mesmo em relação aos casamentos bígamos ou polígamos? Pois confesso-lhe que não sei.

Pessoalmente continuo a achar que a bigamia e a poligamia favorecem o machismo e vejo complicada a situação de haver um apoio generalizado a essas causas.

Mas somos todos livres de lutar pelos direitos que acharmos justos e se um dia houver um movimento civil nesse sentido e caso venham a conseguir mudar as leis para que esses casamentos sejam permitidos pois eu aceitarei também. Quem sou eu para me opor à liberdade e feliciade de pessoas que querem viver em comunidade matrimonial, não é? :-P

Berto disse...

Como no anuncio "I'm loving it":

"Pessoalmente continuo a achar que a bigamia e a poligamia favorecem o machismo e vejo complicada a situação de haver um apoio generalizado a essas causas."

Isto nada tem a ver com poligamia ou whatever (até podia ser sobre o ceu ser azul), a minha questão é: a mudança começa em nós. Para mudar algo errado, temos de mudar nós, e a mudança não é passar para outro extremo, mas sim no equilibrio. Ou seja, dizer que a maior parte da poligamia de hoje é "machista" e errada e como tal deve ser "erradicada" (não me lembro de outra palavra) é uma coisa, dizer que deve ser proibida apenas pq é algo machista é errado. A minha mãe sempre me disse, e tento ver o mundo assim, homens e mulheres só existem da porta do quarto para dentro, fora existem pessoas. my 2 cents

Anónimo disse...

Sou plenamente a favor do casamento homossexual e pessoalmente revolta-me essa postura de muitos homossexuais em serem contra essa instituição do casamento. A instituição foi criada para regular a sociedade sim, o amor veio depois. Mas deveria ser um direito que assiste a todos os individuos igualmente (e com o mesmo nome).

Já agora falo de casamento entre dois individuos. Não me venham com a poligamia ou androgamia aqui para o meio. São questoes completamente distintas!

Quanto à poligamia promover o machismo... Porque haveira de o ser? Não seria vontade das mulheres estarem nessa relação? E assim sendo, não poderiam elas tb gostarem de estar umas com as outras?
E a androgamia? Seria uma violência feminista?
Oh por favor, o machismo vê-se é noutras coisas.

Aster

Miranda disse...

Pois... por isso eu preferia falar sobre o assunto que está em discussão (casamento entre duas pessoas) e não doutros que desconheço, como a poligamia e a androgamia!

Sinceramente não faço a mínima ideia sobre o que leva várias mulheres a quererem viver com o mesmo homem (motivos financeiros?) com quem têm que ter relações sexuais mesmo que depois também possam ou até gostem de se relacionar umas com as outras.

E a única referência que tenho em relação à poligamia é sobre uma comunidade nos Estados Unidos cujos homens, líderes "espirituais", obrigam as mulheres, muitas vezes ainda crianças, a casarem-se com eles e a viverem num clima de escravatura e terror.

Miranda disse...

Mas bem agora que me falou nisso já aprendi umas coisitas novas! :-P

A poligenia é historicamente a forma de poligamia mais praticada (um homem com várias mulheres). Depois temos a poliandria (uma mulher com vários homens). A poligamia em si corresponderia então a uma só pessoa com várias mulheres e homens! Ena Ena, viva o luxo! :-P

Miranda disse...

E já agora para reforçar a teoria aqui vai em wikipediês: "according to the Ethnographic Atlas Codebook, of the 1231 societies noted, 186 were monogamous. 453 had occasional polygyny, 588 had more frequent polygyny, and 4 had polyandry."

Miranda disse...

E agora que já estive a ler mais umas coisitas mantenho a minha, que a poligamia é dum machismo extremo porque foi usada (e nalgumas regiões ainda é) para permitir que homens poderosos pudessem ter várias mulheres!

E faz sentido que a poligamia generalizada tenha sido sempre de só homem para várias mulheres nem que fosse pelo facto que assim o homem garante que todos os filhos dessas mulheres são seus, enquanto que se uma mulher tivesse vários maridos não se saberia quem era o pai da criança, não é?

Uma vez que o que está em causa neste momento não passa de todo pela procriação, muito menos pela procriação em série, não me parece que as coisas possam ser metidas no mesmo saco. E como diria a outra, uma coisa é uma coisa, essa outra coisa é outra coisa qualquer! :-P

Sweet_Words disse...

Tal como todos nós temos direito ao ar que respiramos, porque não os homossexuais terem também este direito?
Com tanta ''discussão de ideias'' que tem havido por aqui, nem sequer vou opinar muito o assunto, até porque não é poligamias ou androgamias que vão inserir a lei do casamento homossexual, é mesmo o governo que infelizmente ainda vai controlando pessimamente maioria das leias que vemos no nosso País... Os blog's também vão servindo substancialmente para divulgar os nossos pensamentos e opiniões... Também é de todo certo que o casamento nunca demonstrou se são os heteros ou os homossexuais que amam mais ou menos uma pessoa, no entanto, a união perante a religiosa ou perante o registo civil, devia de ser um direito de todos, já que com tanto preconceito desta sociedade vamos tendo mais deveres do que quaisquer outras pessoas (por ex: esconder manifestações de carinho em plena rua, o que habitualmente até se vai quebrando felizmente). Aproveito desde já para ''louvar'' este blog, que de muito interessante se lê aqui...
Entretanto sejam felizes, e aproveitem o quão de bom o amor oferece... Casar ou não, o importante é estar com quem se deseja!

Abracinho a todos, principalmente aos/as blogger's :)

Anónimo disse...

quanto à sondagem... eu que sou bi, nao tenho direito a voto?

Miranda disse...

sweet_words obrigada pelas palavras, é sempre bom saber que alguém se interessa e gosta do que por aqui se escreve! :-)

E nós somos felizes na mesma, só que talvez nos preocupassemos um bocadinho menos se o estado nos deixasse legitimar as nossas relações. Não nos tornaria mais felizes no imediato, apenas menos preocupadas pelo bem estar dos que amamos um dia em que já não estejamos cá para defender que os nossos pertences são comuns e devem ficar com a pessoa que escolhemos para companheira de vida e não para um qualquer familiar que nunca nos viu mais gordas e só aparece na hora de reclamar o direito àquilo que pela lei actual lhe pertence!

E quanto a si, caro(a) leitor(a) bissexual pois de facto peço-lhe perdão pela descriminação! Pensei que seria coisa rara uma vez que pessoalmente nunca conheci ninguém que se definisse como bi! :-P

Mas também para o caso da pergunta em questão não é lá muito relevante pois não? Se quiser casar com uma pessoa do sexo oposto ao seu, não tem crise. Se quiser casar com uma pessoa do mesmo sexo que o seu, diria que poderia assumir-se como homossexual apenas em relação a este ponto em específico (i.e. de apoiar o casamento entre pessoas do mesmo sexo), parece-lhe bem? :-P

kris disse...

Casa quem quer..só queremos ter os mesmos direitos.Ninguém vai obrigar um casal hetero a casar, o mesmo se passará com um casal homossexual.

Já houve uma altura em que apenas por se ser mulher não se podia votar..hoje em dia vota quem quer, seja homem ou mulher.Trata-se apenas de igualdades de direitos.
Não somos menos que os casais hetero.E há muitos casais homo que gostariam de se casar.

Acho sim que devemos lutar por igualdade de direitos..nem mais..nem menos...

Anónimo disse...

A pesar de nao querer admitir a muitos mais Bis do q parece, alias a natureza humana e assim. A maior parte das vezes os Bi sao mal aceptado do lado hetero como d lado homo. Cada um desses lados acham se muito superiores para "repararem" numa pessoa bi. Pk a opiniao geral, e q os Bi sao gentinha nao assumida, completamente falso, o q custa e acreditar q se goste d ambos lados.
sandra.

Anónimo disse...

QUERIA SÓ DEIXAR UM RECADITO; NA PROXIMA 2ª FEIRA DIA 06, PROGRAMA SOCIEDADE CIVIL NA RTP2, VAI ABORDAR ESTE TEMA DO CASAMENTO HOMOSSEXUAL. CONFESSO Q GOSTO MUITO DE ESTE PROGRAMA SEMPRE CONDUZIDO COM PROFISSIONALISMO, PROFUNDIDA E UM ENORME TOKE HUMANO, PELA FERNANDA FREITAS.
SHANE

walla disse...

O único caminho é mesmo lutar por algo em que se acredita. Quem não acredita, que não faça nada. Agora, lutamos todos por uma causa comum. É isso que não nos podemos esquecer.

Anónimo disse...

eu vou comentar mas acho mais os comentarios que o proprio post
tipo voces estou contra os conceitos que as pessoas fazem na cabeça em relaçao a homosexualidade mas alimentam os voços conseitos errados
tipo voces sao contra o casamento de varias pessoas tipo pois dizem que isso e machismo sabem tambem a quem pense que a homosexualidade e so pedofilia que e so um homem sasiarse com um miudinho. em realaçao ao incesto tambem tem umas tantas coisas a dizer pois e contra natura tu sais dela e voltas para ela. e e disto que se manda o mundo de conceitos . uma pessoa ai queixou-se do governo somos nos pessoas a fazer o governo o governo nao aceita isto pois o povo nao aceita tipo nos somos um pequeno grupo de um inorme. e nao acho isso do casar uma coisa tao ecencial nao e uma coisa que me tira o dormir mas e um direito nao choro por isso todas as noites ainda sou novinha por lei nao posso casar ( e acho muito bem) quando poder chegar a idade que posso queria ter o direito de o poder esconher esconhendo eu a orientaçao sexual que eu quiser tendo eu um ou dois amores e casar com os dois fazer o que quiser no meu lar e ninguem tem nada a ver com isso ( quando digo isto do ninguem depende pois quando falamos de outrem que esta a ser espezinhado acho que ai deve-se intrevir como a bestialidade ou a pedofilia- claro na pedofilia temos que ver eu agora ando a ler lolita e a minha ideia deste tema esta a ficar mais rosa ). mesmo assim resumo a homosexualidade e um conceito como mais uns mil casa um tem o seu vence o mais «abitual» e agora e o de que e uma coisa anti-natura

Anónimo disse...

Bi, coisa rara? Aiii… serei eu uma lenda viva?!! :D


É claro que podia ter votado na sondagem como homossexual, não o fiz porque fiquei danada com a descriminação, ora! :(


Mas já que me pediu desculpas, aqui fica o meu voto: sou a favor do casamento ENTRE PESSOAS, ponto.
É disso que falamos,não é? Seres humanos e afectos...

(Anónima das 10:40PM)

Anónimo disse...

Sim, sou homossexual e acho que todos deviam ter os mesmo direitos.

(acho que falta esta opçao)

lua ( disse...

sendo que: Sou mulher,vivo há 7 anos com outra mulher, comprámos uma casa e um carro escolhido pelas duas, temos contas conjuntas e partilhamos tudo inclusivé a educação e amor á minha filha do meu 1ºcasamento (com um homem, obviamente!). Se um dia a minha companheira morre 1º do que eu, e estando a casa em seu nome, quem ficará com a casa? Neste momento e se a lei não for alterada, seriam os seus irmãos (ou pais que já não tem) pois não tem filhos.... Para onde irei eu e a minha filha, depois de uma vida construida em comun numa casa que considero minha (porque nela vivo e porque tb a pago)??!! alguém consegue responder?

Miranda disse...

Caros(as) Bis, tenho o maior respeito pelas vossas orientações embora neste caso em específico estamos a falar de uma opção para a vida (o casamento) que a meu ver implica estar com uma pessoa que se ame, e só uma (já disse que não concordo com os casamentos poligamos, mas também não é isso que está em discussão neste momento).

Uma pessoa bissexual sente-se atraida por pessoas de ambos os sexos, mas caso queira casar isso só será um problema se o quiser fazer com alguém do mesmo sexo, certo? Nesse aspecto e nem que seja só nesse ponto eu diria que a problemática do casamento para um bissexual só se torna problemática se for com uma pessoa homossexual, uma vez que isso neste momento não é legal, não é? :-P

E anónimo homossexual, eu pus várias opções porque alguns homossexuais não desejam casar-se e mais do que isso alguns até são contra a luta pelo direito a termos acesso ao casamento! :-S

Miranda disse...

lua ( infelizmente há muitas pessoas nessa situação e há muitas situações que se resolvem à margem da lei porque as pessoas são compreensivas e acabam por aceitar uma situação de amor e vivência em comum de vários anos. Mas como nem sempre é assim, e como há muitas injustiças no mundo, lutamos para ter o direito a podermos pela lei indicar quem é essa pessoa especial na nossa vida, que deve ter todos os direitos que um conjuge em termos legais tem.

Afinal não custa nada, é uma alteração muito simples que pode facilitar inúmeras situações que já ocorrem hoje em dia. Custa ouvir algumas das justificações dos políticos sobre o porquê da negação desses direitos agora, não está na agenda deles, penso que para eles não somos suficientemente importantes como gente. :-(

AlmaAzul disse...

Luta-se não por um direito mas contra os valores de uma grande maioria. Porque se não o fosse não teríamos problemas nenhum em consegui-lo até porque ganhar este direito não fará ninguém perder nada... ou será que faz?
Ah! Esqueci-me do poder das "igrejas"!
Ah! E da redução das receitas de impostos...

(p.s. os Bissexuais votam onde? Lol)

‘Tou ironizando…

Anónimo disse...

Pois eu definio-me como Bi...
A minha alma apaixona-se, simplesmente, por certa alma.
Quem quizer que se case, eu não o tornarei a fazer, só me trouxe chatises e burocrasias. Para mim ainda pode fazer sentido um casamento relegioso, mas amigos isso é que me parece que os senhores das Igrejas nunca iram consentir! Depois claro há a questão das heranças que penso poder dar-se a volta com testamentos.

Miranda disse...

Não pode porque os testamentos podem sempre ser contestados pela família.

Nos casos que tenho ouvido de tribunais, houve sempre alterações em relação ao que foi estipulado no testamento porque o próprio tribunal não reconhece que fulano ou fulana x que não tem nenhuma relação com quem redigiu o testamento possa herdar aquilo que por lei pertence aos seus familiares (desde pais, filhos, avós, tios, e até sobrinhos!)

Basta a família querer aquilo que é seu (e ir reivindicá-lo em tribunal) para que o testamento em favor do seu/sua companheiro/a de vida voe pela janela e fique sem efeito. :-(

subtilezas disse...

a sondagem não está lá muito abrangente não. classificar a sexualidade é algo complicado, senão expliquem me: sou mulher, já me apaixonei por homens "hetero" e "homo", mulheres "hetero" e "homo" e confesso que tenho uma atracção muito forte por transexuais e adoraria um dia estar no meio de dois gays masculinos..ora, onde fica a minha sexualidade? eu normalmente qdo me pedem definições digo: multissexual, apesar de n gostar de definições. bom mas a questão é a do casamento. e por muito que seja uma instituição na qual não acredito nem dois segundos se os casais supostamente heterosexuais o podem fazer também os restantes têm esse direito.elementar. não respondi à sondagem pq n sei onde me encaixar*

Queen Su disse...

Acho que falta uma opção na sondagem:

- Não, sou heterossexual e o casamento é uma instituição às portas da morte!

Cada vez as pessoas hetero se casam menos, porque é que os homo agora lutam por uma coisa que nem os hetero querem?

O que deviam existir são direitos pessoais independentes da institucionalização seja do que for!

Duas amigas que vivam juntas na mesma casa há x anos, não devem ter direitos, mesmo que não tenham um relacionamento sexual? Isto não faz sentido, desculpem.

Miranda disse...

Ui subtilezas mas penso que o que está em questão não tem a ver com a sexualidade de cada um. Como já expliquei algures ali para cima o casamento só será um problema para um bissexual que deseje casar-se com uma pessoa do mesmo sexo e nessa situação e apenas nessa (ou seja o acesso ao casamento civil por duas pessoas do mesmo sexo) eu diria que o bissexual se poderia definir como homossexual...

Pois queen su mas pelos vistos há pessoas para quem o casamento faz sentido e que desejariam casar-se caso isso fosse legalmente possível (veja os resultados da sondagem).

Concordo que pode até não passar pela sexualidade, ou seja, quaisquer duas pessoas independentemente do sexo deviam poder casar-se e assim assumir-se como companheiros/as de vida. Uma vez que esse tipo de contracto neste momento se designa como "casamento" eu diria que alargá-lo a duas pessoas do mesmo sexo (não necessariamente homossexuais) é um passo no sentido de permitir um leque mais alargado de situações de vivência comum entre duas pessoas.

Anónimo disse...

Petição "SIM à liberdade e à igualdade no dia 10 de Outubro"

Peço que assinem e divulguem a seguinte petição:
http://www.peticao.com.pt/liberdade-e-igualdade

As razões são evidentes.

Desde já obrigado.

Com os melhores cumprimentos,
Tiago Gomes

x-pressiongirl disse...

queen su, não poderia estar mais de acordo consigo. Eu quero ser solteira e ter os mesmos privilégios dos que se casam (heteros ou homossexuais). Antes de o casamento perpetuar desigualdades entre homos e heterossexuais, ele perpetua desigualdade entre solteiros e casados.
Expliquei a minha posição aqui:
http://sembikini.blogspot.com/2008/06/por-que-que-os-gays-no-devem.html

Lady disse...

O que eu acho engraçado nisto tudo, é o facto de termos de deixar o nosso futuro, nas mãos de pessoas que não nos compreendem..

E viva a Portugal! (NOT)

bagaco amarelo disse...

olá. independentemente da vontade cada um, o que se está a discutir aqui não é só se os homossexuais devem ou não poder casar. o que se está a discutir é se o Estado tem o direito de interferir naquilo que é a esfera individual de cada um. Eu acho que não... por isso todos devem poder casar, independentemente da orientação sexual ou de outra coisa qualquer... :)

subtilezas disse...

a única coisa que queria dizer é que a sondagem não é abrangente. apenas isso. e a tentar explicar que não me encaixo em nenhuma possibilidade de resposta.

Miranda disse...

Ok subtilezas como é óbvio nunca é fácil cobrir todas as possibilidades... mas deixou-me curiosa sobre qual seria a sua resposta à pergunta se é a favor do casamento entre homossexuais, ou se quiser, do casamento entre pessoas do mesmo sexo. :-P

Mosca disse...

X-pressiongirl
"Acho incrível a "instituição casamento" ainda existir e, mais incrível ainda, a comunidade gay querer que a Igreja os reconheça como casal quando nem sequer são reconhecidos enquanto indivídos homossexuais."

A intituição casamento existe com diferentes vertentes, a religiosa e a civil.
O que os homossexuais reivindicam é o acesso ao casamento civil e não ao casamento religioso. São duas entidades diferentes, o Estado e a Igreja. O Estado português é laico e o casamento no civil nada tem a ver com o religioso.

subtilezas disse...

eu sou pela igualdade de direitos. e pela não discriminação. por isso, por muito q para mim o casamentos seja uma instituição na qual não acredito, acho q qualquer
relação pode, se assim o desejar, ser institucionalizada. não há relações de segunda. e não é a procriação q legitima o casamento. tb acredito q em breve vai ser possivel em portugal. sinto q apesar de tudo a mentalidade começa a mudar. finalmente. e sinto que a luta pelos direitos LGT e essas cenas todas é fundamental. não é uma questão secundária. é cidadania. é justiça.