Familias

sexta-feira, fevereiro 27


Casa dos pais, jantar na mesa, TVI de fundo. Todas as vezes que lá vou passa uma notícia LGBT. Desta vez foi a gravidez daquele senhor.

Sobrinho - Epa, mas como é que um homem pode ter um filho?

Algum silêncio. Quem é que vai responder à criança? Espanto meu, existe alguém mais surpreendida do que eu? O meu pai foi o primeiro a abrir boca!

- Ele era uma mulher e fez uma operação porque quis ser homem, mas ficou lá dentro com a barriga para ter bebés.

- Isso é estranho, e teve que pôr uma pilinha? Para que é que quis ser homem?...

Como se não bastasse, a minha mãe vê uma imagem da esposa a amamentar e exclama:

- Mas como é que ela tem leite, se não foi ela que teve a criança?!!

Parecia uma daquelas publicidades em que uma velhota dizia que era uma vergonha porque iam dois gays de manga curta com aquele frio ou qualquer coisa do género... Se calhar, deviam ir aos "Prós e contras" falar com aqueles senhores da defesa da familia e afins.

Só sorri...

17 comentários:

A... disse...

Surreal...

Eu pessoalmente disse...

Não vi a reportagem toda, mas tive o (des)prazer de ouvir, o jornalista da TVI, no fim em forma de remate a dizer qualquer coisa do tipo: "E este homem, mulher, transexual está novamente grávido. E isto é olhar o mundo com olhos de ver."

AaahH? Eu penso para mim, olhar o mundo com olhos de ver era as pessoas que têm voz para falar para o país não dizerem disparates destes. É um homem. Não é uma mulher. Ele próprio vincou isso durante a reportagem...

Tátá disse...

Gostei muito do seu blog, comecei um agora e reparei como a maioria dos blogs andam desativados... Também vi esta matéria na Discovery...
Gostaria de convida-la para conhecer meu espaço. um bjo d anova amiga
Tátá

Tátá disse...

esqueci de deixar o link né?
http://circulovicioso.zip.net/
táta

Jéssica disse...

Bom, mas deveria ter se pronunciado...

pela criança ao menos...

Helena disse...

Oies,
Mudar as mentalidades começa por agirmos com a nossa familia, por explicar, esclarecer... por tirar dúvidas.

Converso regularmente com a minha familia sobre assuntos LGBT, os nossos pontos de vista, as nossas realidades e as nossas dores. E isto desde a minha mãe aos meus sobrinhos de 10 e 16 anos.

Não resolve nada, atirar os que não entendem para o mesmo molhe dos homofóbicos.

Bjs
HM

Anónimo disse...

Posso ser suspeita mas não interpretei a cena dessa forma. As questões formuladas foram legitimas, de quem está a pensar pela primeira vez numa questão, e que apesar disso não teve problemas em verbalizá-la. O assunto não ficou por aqui foi explicado. Mas se querem saber eu tb ainda não sei como pode uma mulher que não deu à luz, amamentar. Mas vou descobrir..

O que achei importante foi não haver tabu, foi as questões colocadas serem fora do preconceito e do julgamento.

Lápis-lázuli

Adoa disse...

Para ter leite nos peitos näo é preciso muito esforco. Se tomerem "Socian" durante uns tempos há uma grande probabilidade de ter leite nos peitos, até num homem, só näo vai dar é para amamentar uma crianca. Umas quantas gotas näo däo para tal... Mas também näo achei de reprovar a conversa, pareceu-me de pessoas que tentam perceber o que se está a passar. Eu própria näo entendo. Se ele enquanto mulher näo teve filhos, porquê agora que é homem? Quer publicidade? E as hormonas que toma, que väo fazer às criancas? E vai ser um bocadinhho complicado de contar às criancas tudo isto...

walla disse...

Eu acho brilhantes aquelas perguntas.

Siona disse...

Não vi a reportagem, mas acredito que a linguagem não tenha sido cuidada nem respeitadora, como diz Eu Pessoalmente. Acho que na maioria das pessoas é algo que se pode compreender, pela falta de informação disponível, mas um(a) jornalista tem o dever de estar informado e de ter um cuidado muito maior que quem o lê/vê.

É também pelo descuido, falta de interesse em pesquisar o assunto, e por não se preocuparem com o impacto que o que dizem vai ter sobre a vida de quem é LGBT que vemos coisas como uma "reportagem" que saiu na Única em Janeiro, onde dizem que 90% das pessoas transsexuais se prostituem... é completamente falso e monstruoso, só vai reforçar estereótipos e aumentar a discriminação. Nalguns casos, a falta de responsabilidade d@s jornalistas chega a ser criminosa!

@ Lapiz-lazuli e Adoa:
É possível qualquer pessoa, mulher ou homem, ter leite e amamentar (em pleno), é uma questão de se mexer com os alguns níveis hormonais (sobretudo com a prolactina).
O Thomas Beatie engravidou porque a esposa tinha tido uma endometriose e não o podia fazer, logo a única hipótese de terem filhos era através dele. Não o fez porque queria fama, foi só mesmo porque queriam filhos :) Como ele próprio disse, a parentalidade é um desejo comum a homens e mulheres, por isso isto não é nada de novo na história da humanidade (fico um pouco surpreendida quando tenho de explicar isto a pessoas LGB, que já deviam saber que há muitas formas diferentes de se ser homem ou mulher :)
Ele suspendeu a terapia hormonal alguns meses antes de engravidar, para o ciclo menstrual regressar, e já se sabia que isso em nada afectaria adversamente os filhos. A primeira, Susan Juliette, nasceu a 3 de Julho, e é uma menina completamente saudável. Acho que ela vai reagir muito bem, as crianças têm uma maneira prática e descomplexada de olhar a realidade que infelizmente os adultos já perderam.

Se quiserem saber um bocadinho mais e não se importarem com a minha publicidade, passem por aqui.

P.S. Por onde anda a AR? ;)

Bjs,
S.

Anónimo disse...

Isso gostava eu de saber... AR!!!

Quanto ao leite, tinha as minhas suspeitas que seria por hormonas mas não a certeza. obrigada pela explicação.

Para mim, não sei se ficou claro, acho a situação da familia de Thomas é perfeitamente aceitável e normal. Não me faz confusão nenhuma. foi uma solução para o casal ter filhos, daí o título do post.

A transexualidade nunca me fez confusão, consigo perceber. Mas sei que faz a muita gente, incluindo muitos homossexuais...

Aquilo que pretendia passar com esta história é que familias tão diferentes se podem tentar perceber sem se julgarem. Não foi, de todo, por não compreender.

Lápis-lázuli

Siona disse...

Oi novamente,
Lápis-lázuli, a parte do meu comentário que para ti era só sobre a amamentação, achei o teu post simpático e não tenho nada a apontar-lhe :)

Quanto a fazer confusão o T a algumas pessoas LGB, é verdade... e quase sempre é só falta de informação/desinformação via os média, não tanto discriminação pura e dura. Para quem quiser ler ainda mais sobre o assunto, deixo ficar dois links:
Blog do Grupo de Reflexão e Intervenção sobre Transsexualidade
Documento T da ILGA

O GRIP também tem realizado iniciativas de esclarecimento sobre o tema, na cidade mais bela de Portugal :)

Nina Ferri niferri@gmail.com disse...

Nossa! Que louca essa cena que você narrou. Realmente surreal!
Nina Ferri (www.botadentro.com)

Anónimo disse...

Deveria congratular-se de ter uma familia q se faz essas questoes, com lo q me pareceu no texto, bastante sinceridade e seriedad, nao só por curiosidade morbida. a maioria, ou muda de canal ou diz alguns disparates sobre "aberraçoes". Tenho um filho menor de 10 anos, q ja sabe q as raparigas e rapazes podem namorar se assim quiserem e forem adultos. E isto todo para saber q ha mts diferencias entre as pessoas, e contar com isso sempre.
sandra ambar.
aaah e q bom é voltar aqui e rencontrar velhos "amigos" só falta a Ar e a miss shirley voltarem!! bjs

Isabel disse...

EU não acho esta situação nada surreal.
Acho perfeitamente plausível a confusão que faz a muitas cabeças.

Alias, por muito "avançado" que seja o nosso pensamento, a verdade actual é: Um homem não pode ficar grávido.
É impossível.

O Sr. deste casal foi capaz de o fazer porque BIOLOGICAMENTE é uma mulher. E é como mulher que engravida e não como homem.

O facto de se identificar como homem, viver como homem e ser oficialmente reconhecido como do sexo masculino...nunca deixará de ser um XX que, tendo a presença dos orgãos reprodutores e a ausência de complexos hormonais externos, funcionará como mulher.

Na minha opinião e expliquei este caso a uma criança dizendo:
"Tu vês um homem, porque esta pessoa sente-se como homem e alterou o corpo para parecer um homem. Mas nasceu mulher e os seus orgãos internos são femininos. Por isso, como tem útero e ovários, pode engravidar."

"Tem pilinha?"
Não sei se tem, mas a pilinha não é o importante para a reprodução.

-
"Homem grávido" é uma notícia enganadora.
Acredito que futuramente venha a acontecer, mas não nos próximos 15 anos.

Por enquanto temos um transsexual FTM grávido. Que se tivesse completado toda a transição teria perdido essa capacidade.

Siona disse...

Isabel:

Em primeiro lugar, o Thomas completou a transição. A dele não incluiu a cirurgia genital (algumas pessoas transsexuais não a chegam a fazer, quer por razões práticas - falta de cirurgião habilitado na área onde vivem, não terem dinheiro suficiente para pagar a cirurgia do seu próprio bolso, etc., e outras porque já se sentem confortáveis com a genitália original), mas foi uma transição de sucesso e que levou até ao fim.

O mais importante na transição é uma vivência mais feliz no papel de género do sexo oposto ao atribuído ao nascimento, e isso ele conseguiu-o, e muito bem. Se passasses por ele na rua, se te dirigisses a uma loja onde ele fosse recepcionista, se falasses e interagisses com ele, muito ou pouco, o que tu verias, a todos os níveis, seria um homem, e só um homem.
Aliás, até legalmente o Thomas é do sexo masculino.

Vou ser um bocadinho má, mas acho a tua dependência do argumento dos cromossomas é simplista e pobre. O género vai muito para além do cromossómico (que é uma só parte do biológico), ou até de todo o biológico. E também é obviamente ofensivo questionares a identidade do Thomas Beatie enquanto homem, com esse argumento, ou qualquer outro.

Há muitas mulheres que nascem com cromossomas XY - mas que por terem insensibilidade completa aos androgénios, o feto nunca se masculiniza, e a maior parte delas vive toda uma vida sem saber do seu cariótipo. Não têm útero, e não podem engravidar, mas provavelmente não lhes chamarias menos mulheres por causa disso. Outras mulheres, XX, também nascem sem capacidade de engravidar, e provavelmente também não lhes chamarias menos mulheres por causa disso. E provavelmente também não dirias que uma mulher pós-menopausica deixou de ser mulher. E há outras, também XX, que nascem com capacidade de engravidar, mas que escolhem não o fazer. Não sei se és lésbica, mas usando o mesmo argumento que escreves aqui, também há quem diria que não és uma mulher "no sentido pleno do termo" (estou a citar um "psicólogo" da nossa praça), porque a tua orientação (nas palavras dele, "opção") não te "permitiria" cumprir essa função natural que é engravidar. O biológico (ou parte dele) serve para questionar e atacar as pessoas transsexuais, mas também serve perfeitamente para questionar e atacar as pessoas LGB.

Aliás, fazer da capacidade de engravidar uma propriedade que defina, por si só, o que é ser-se mulher, implica que vemos as mulheres, e o seu papel na vida, como "incubadoras". O que é um bocadinho pobre, para além de obviamente misógino.

Ser-se homem ou mulher vai muito para além do cariótipo, tem a haver com também com o fenótipo, a identidade social, e o psicológico. Nem podes sequer dizer que o Thomas é biologicamente mulher, porque apesar dos cromossomas (cariótipo), tem, no fenótipo, barba, voz grave, pilosidade pelo corpo todo, massa muscular e padrão de distribuição da gordura corporal perfeitamente dentro da média masculina, o que não são traços tipicamente femininos... :)

Reduzir uma pessoa transsexual aos cromossomas é uma das maneiras mais frequentes para se por em questão a identidade delas, como tu fazes, dizendo que ele não é um homem, mas sim e antes um "transsexual". As pessoas transsexuais não se identificam como transsexuais, mas sim como homens ou mulheres, e plenamente, não como homens e mulheres de segunda categoria, ou sucedâneos, ou híbridos.

Este vídeo é capaz de explicar um pouco melhor ;)

Isabel disse...

Olá Siona,

Todo o teu argumento está bem construído e correcto.

Fiquei com a ideia que achaste que terei algo contra os transexuais, o que não é a realidade. Consideraria o Thomas homem se acaso convivesse com ele. É a identidade de género dele e é assim que ele se apresenta perante o mundo.

O que não concordo é chamarem-lhe "o primeiro homem grávido" porque isso induz em erro. Ele engravidou nos padrões normais que lhe permitem tal por ter nascido mulher. Isto é factual. Não houve nenhum milagre na medicina e muito menos nenhuma alteração nas funções reprodutivas de um homem. Houve o aproveitamento de orgãos femininos num corpo que por acção da testosterona, mastectomia (...?) se foi masculinizando.

Quando falei de transição completa, quis dizer que não houve a remoção de útero e ovários.

E sim, sou lésbica, mas a minha orientação não me impede de reproduzir. No entanto impede-me de seguir o papel de mulher enquanto esposa de um homem e como tal, aos olhos de muitos, me faz menos mulher. Mais ou menos algo é sempre muito subjectivo.

Eu não vou classificar o Thomas como mais ou menos homem, mas sim, a gravidez é algo, na nossa espécie, exclusivamente feminino.
E por acaso, não vejo a mulher como incubadora. A gestação é algo maravilhoso do qual apenas o corpo feminino está dotado para o conseguir.

Quanto ao futuro...veremos.

Por isso, ao explicar-se este caso a pessoas que o vejam tal como ele é - um homem - seja importante apresentar o que possibilitou essa gravidez: ter nascido mulher.
Isto não é mentira, nem ser simplista, é ser-se objectiva e compreender o "fenómeno".

Será que me fiz entender, sem parecer estar a atacar ninguém? :) Porque não é, de todo, o caso!



E um aparte,
Esta noticia foi completamente sencionalista. Não fosse o facto de estar "grávido" e em vez de "homem" a imprensa escreveria "transexual". Como fazem sempre, né? :|

"TRasexual pontapeado". "TRansexual assalta..." Nunca dizem "mulher" ou "homem" nestes casos.

Aqui "transexual grávido" tem menos impacto que "homem grávido". Mas neste contexto, para perceber esta gravidez, já é muito importante saber que é transexual...